terça-feira, 14 de abril de 2015

Polinização: vento ou insetos?

Todas as coníferas, como também muitas outras plantas que se reproduzem por flores ou sementes, são polinizadas pelo vento. O trigo, por exemplo, possui uma flor pouco visível da qual se projetam as anteras masculinas, que entregam o pólen ao vento e os estigmas femininos, plumosos, que ficam aguardando o pólen a ser trazido pelo ar, proveniente dos pés de trigo vizinhos.
 
As plantas polinizadas pelos insetos, como as tulipas, muitas vezes possuem vivo colorido e segregam néctar. As espécies fecundadas dessa maneira produzem menor quantidade de pólen e tem órgãos femininos mais simples que as plantas que dependem do vento.
 
 
 


Controle Natural de Pragas

     Para manter sua horta e jardim saudáveis, são necessários cuidados especiais com as pragas. Existem várias plantas que atuam como repelentes de insetos ou os atraem para si mesmas, evitando que ataquem outras plantas.
     Se você souber misturar essas plantas de uma maneira inteligente e bem dosada, certamente os resultados serão surpreendentes; além de tornar sua horta mais bonita ou o seu jardim mais aromático, a necessidade de usar inseticidas será mínima.
     Todos sabem que o tagetes (cravo de defunto) é repelente de muitos insetos, combate o nematóide e estimula o crescimento vegetal, por isso é muito usado em hortas, principalmente junto com tomates. Todavia existem pelo menos duas dezenas de plantas que são benéficas no combate às pragas. Dizem que a "Ruta graveolens" (arruda) repele gatos.

Plantas que auxiliam no combate às pragas:

Allium sativum (alho) - repele insetos pelo cheiro.
Artemisia Absinthium (artemísia) - seu chá repele grande número de insetos, mas aplicações muito frequentes inibem o crescimento das plantas.
Borago officinalis (borage) - repele lagartas.
Calendula (calêndula) - combate os nematóides.
Chrysanthemum parthenium (margarida) - repele insetos.
Chrysanthemum balsamita (crisântemo) - repele mariposas.
Coriandrum sativum (coentro) - combate piolhos.
Dahlia rósea (dália) - combate o nematóide.
Delphinium sp (esporinha) - atrai e mata besouros.
Chrysanthemum sp (crisântemo) - repele insetos.
Mentha sp (hortelã) - repele formigas, moscas e pestes da família das couves.
Lavandula officinalis (lavanda) - repele mariposas.
Linum usitatissimum (linho) - repele o besouro da batata.
Mirabilis jalapa (maravilha) - insetos devoram sua folhagem e morrem.
Ocimum basilicum (alfavaca) - combate lagartas.
Pelargonium (gerânios) - atrai e mata besouros.
Petunia axillaris (petúnia) - combate insetos.
Pimpinella anisum (anis) - combate piolhos.
Rosmarinus officinalis (alecrim) - mariposas e besouros.
Ruta graveolens (arruda) - repele gatos.
Satureja hortensis (segurelha) - repele besouros.
Tanasetum vulgare (catinga-de-mulata) - formigas.

Bibliografia:
The Healthy Garden Handbook
autor: Hugh Johnson

Extraído do boletim "O Regador", edição de julho/agosto de 1991

Fotossíntese

Pelas raízes e radicelas a planta retira do solo os minerais que necessita usando como veículo a água (seiva bruta). Esta seiva bruta é levada através da circulação ascendente até as folhas. Além da água e desses nutrientes retirados do solo, o dióxido de carbono (CO2), também conhecido como gás carbônico, é retirado do ar, sendo de importância vital, junto com a água e a energia solar, para a síntese dos hidratos de carbono. A captação e transformação de energia solar se faz através do pigmento verde das plantas, a clorofila. Por esse mecanismo, o dióxido de carbono mais a água resultam em amido, que será elaborado nas células foliares (seiva elaborada) e distribuído para toda a planta pela circulação descendente. Esse mesmo amido é a reserva de matéria e energia com a qual a planta cresce e se modifica. A energia solar, seu calor e sua luz, embora não sejam nutrientes, são fundamentais para que se processe a transformação química das células foliares.
 
A fotossíntese é a função vital em que, sob a influência da luz solar e com interferência da clorofila, o dióxido de carbono, a água e os nutrientes (seiva bruta) se transformam em hidratos de carbono (seiva elaborada), que é energia, matéria básica para a vida humana e animal.

 
 


domingo, 30 de novembro de 2014

Confraternização final de 2014

A última atividade do ano de 2014 do Cejarte foi um passeio na Colonia Mergulhão, em São José dos Pinhais. O almoço foi no Restaurante Bosque Italiano II.
Os recantos Iedoski Artes, Casa da Mamma e Encantos do Jardim foram visitados e apreciados pelas cejarteanas. Seguem algumas fotos que já nos trazem saudades.
Feliz Natal e que em 2015 tenhamos muitos momentos de aprendizagem, alegria e confraternização.
 
 
 
 

 
 

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

 
 

 
 
 

 
 

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

"Por que você quer um jardim?"

           Jardins são para pessoas. Descubra por que as pessoas querem um jardim e você será capaz de executar um que as agrade. Ao fazer isso, concentre-se nas pessoas importantes (você próprio!) ou em quem tenha encomendado ou vá utilizar o jardim. Ao longo do caminho não se esqueça dos usuários secundários.

Geralmente quando pergunto a alguém “Por que você quer este jardim?”, a primeira resposta é um olhar de interrogação. Imagino que pela cabeça dele passe algo do tipo: “Por que, em nome dos céus, alguém perguntaria por quê? Já sei o que eu quero! E mesmo que eu estivesse projetando para outra pessoa, todo mundo não deseja um jardim pela mesma razão, para ter flores bonitas para contemplar?”

O “por quê” é importante em qualquer projeto. Os poucos minutos dedicados a esclarecer as razões para se fazer determinada coisa, são muito úteis, pois essas razões transformam-se em objetivos. Estes, por sua vez, guiam-nos durante o trabalho e, ao término do projeto, são usados para determinar se fomos bem-sucedidos. Se você quer um jardim que tenha flores coloridas de outubro a abril, terá obtido um jardim de sucesso se as flores desabrocharem durante esses meses. Será um jardim incompleto se em algum desses meses faltar florescência. Pode ser um jardim cheio de qualidades, mas se não proporcionar cor de outubro a abril, que foi a razão para ele existir, o sucesso não é absoluto.

Isso pode parecer simplista, mas é a verdade. Várias vezes fiquei insatisfeita com um jardim após tê-lo plantado e observado crescer durante algum tempo. Embora pudesse fazer e tenha feito alterações, ainda assim, tinha a impressão de que algo não estava correto. Após a terceira ou quarta vez que isso aconteceu, reconheci um padrão recorrente de eventos. Eu não tinha quaisquer objetivos específicos em mente para o jardim quando o planejei. Eu o tinha plantado, simplesmente para plantar mais um jardim. Eu não poderia congratular-me por qualquer realização específica e nenhuma modificação que eu fizesse poderia alterar a maneira como eu  me sentia.

Por outro lado, já plantei muitos jardins que tinham claras razões para existirem. Quando ficavam prontos, eu sabia exatamente o porquê de cada detalhe. Era gratificante quando eu podia dizer: “Ora, isso funcionou bem.” E não havia nenhum problema quando eu tinha que dizer: “Não está totalmente certo”, pois podia voltar aos objetivos originais em busca de alguma orientação para fazer modificações.

Portanto, para que você se sinta bem-sucedido ou para se orientar quanto às modificações a fazer, execute este trabalho prévio para esclarecer exatamente os propósitos do jardim e elabore uma lista de razões para plantá-lo.

Do livro: “É fácil construir um jardim”
Autora: Janet Macunovich

Editora Nobel
1996

segunda-feira, 28 de outubro de 2013

Diário de jardinagem

Além de ser uma atividade relaxante e muito gratificante, a jardinagem requer uma boa dose de organização, sabedoria e alguns truques … daí a importância de fazer um diário de jardinagem.

É um caderno ou bloco que guardará todos os segredos do seu jardim, assegurando assim, toda beleza e saúde ao longo de todo ano.

Pode ser dividido em estações do ano, meses e dias e nele anotados todas as tarefas realizadas ou a realizar no jardim, como por exemplo:
Em que época deve ser feita a poda;
As técnicas de poda;
Datas da adubação;
Tipos de adubos, natural ou químico;
Identificação de pragas, qual inseticida obteve o melhor resultado;
Tratamento das doenças;
Receitas caseiras de defensivos;
Custos e despesas;
Ele pode também ser enriquecido com fotos do jardim, das flores, recortes de artigos importantes etc.
As vantagens de fazer um Diário de Jardinagem é o total controle das necessidades do seu jardim e facilidade na avaliação dos resultados finais.









Resumo da apresentação que Maria Luiza Amatuzzi fez às Cejarteanas na chácara da Noemia Bonamin, em 23/10/2013.


Fotos do Encontro





















quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Homenagem ao Dia da Árvore

Cavemos a terra,
Plantemos nossa árvore,
Que amiga bondosa ela aqui nos será.
Se um dia ao voltarmos pedindo-lhe abrigo,
Ou flores, ou frutos, ou sombra dará.

Que céu generoso nos regue essa planta,
Que o sol de dezembro lhe dê seu calor.
Que a terra que é boa lhe firme as raízes,
Que tenham as folhas frescor e verdor.

Na data de 25 de setembro, em homenagem ao Dia da Árvore, o Cejarte fez um passeio à Chácara da cejarteana Marisa Iwersen, onde foi realizado o plantio de uma árvore pela engenheira agrônoma Karen Sprenger, com todas as explicações técnicas.